Própolis Spray Guaco 40ml

Própolis Spray Guaco 40ml

  • Marca: Fauna & Flora
  • REF. 11.09.007
  • Disponibilidade: 1 dia útil
  • R$9,28

    R$ 9.28
  • 1x de R$9,28 sem juros
INGREDIENTES: Mel, água, álcool neutro, extrato de própolis, extrato de guaco e aroma natural de menta.
Quantidade
Formas de Pagamento
Calcule o freteNão sei meu CEP

DETALHES DO PRODUTO

Mel misturado com outros produtos apícolas é normalmente encontrado em mercados de retalho, sendo mel com própolis e geléia real a mais comum (PAMPLONA et al., 2004). Entende-se por mel, o produto alimentício produzido pelas abelhas melíferas, a partir do néctar das flores ou das secreções procedentes de partes vivas das plantas ou de excreções de insetos sugadores de plantas que ficam sobre partes vivas de plantas, que as abelhas recolhem, transformam, combinam com substâncias específicas próprias, armazenam e deixam madurar nos favos da colmeia (BRASIL, 2000).  O mel, mesmo quando processado para uso comercial, é essencialmente um produto natural e bastante variável em coloração, aroma, teor de umidade, composição de açúcares, minerais e outros componentes. Estes atributos dependem do clima, da fonte floral e das práticas de apicultura individuais (ALMEIDA-MURADIN, 2007). Própolis é o produto oriundo de substâncias resinosas, gamosas e balsâmicas, colhidas pelas abelhas, de brotos, flores e exsudados de plantas, nas quais as abelhas acrescentam secreções salivares, cera e pólen para elaboração final do produto (BRASIL, 2001). Própolis é uma substância coletada, modificada e utilizada pelas abelhas melíferas, possuindo uma composição complexa, formada tipicamente por ceras, resinas, bálsamos e óleos essenciais de origem vegetal (ALMEIDA-MURADIAN, 2007).   A própolis tem sido utilizada na indústria farmacêutica e alimentícia, existindo no mercado diversos produtos contendo própolis; dentre eles, destacam-se balas, doces, chocolates, creme para a pele, xampus, sabonetes e pastas de dente (ALMEIDAMURASIAN, 2007). 

 

INGREDIENTES:  Mel, água, álcool neutro, extrato de própolis, extrato de guaco e aroma natural de menta.  

 

ESPECIFICAÇÕES: Características do Produto  Aspecto Líquido.   Sabor de guaco com menta.  Odor de guaco com menta.  Coloração caramelo. 

Especificamente ao mel, atribuem-se várias propriedades medicinais, além de sua qualidade como alimento. Apesar de o homem fazer uso do mel para fins terapêuticos desde tempos remotos, sua utilização como um alimento único, de características especiais, deveria ser o principal atrativo para o seu consumo (CAMARGO, 2002). Dentre as inúmeras propriedades medicinais atribuídas ao mel pela medicina popular e que vêm sendo comprovadas por inúmeros trabalhos científicos, sua atividade antimicrobiana talvez seja seu efeito medicinal mais ativo (SATO & MIYATA, 2000), sendo que não apenas um fator, mas vários fatores e suas interações são os responsáveis por tal atividade (CAMARGO, 2002). Oriunda da planta Baccharis dracunculifolia (alecrim-do-campo), a própolis verde possui em sua composição o artepellin C (ácido 3,5-diprenil-4-hidroxicinâmico), composto com propriedades antibióticas e que agrega valor comercial à própolis que o contém. Influenciada diretamente pela temperatura, a própolis se torna facilmente maleável em temperaturas acima de 25ºC e muito rígida em temperaturas abaixo de 15ºC (ALMEIDA-MURADIAN, 2007). São muitas as substâncias presentes na própolis, e já foram catalogadas centenas de compostos. Os principais são derivados de alcoóis, fenóis, aldeídos, ácidos alifáticos, ésteres, aminoácidos, chalconas, dihidro-chalconas, flavononas, flavonas, flavonois, hidrocarbonetos, ácidos graxos, terpenóides, açúcares, e outros. Os flavonóides são compostos que possuem atividade biológica e na própolis a sua concentração é um fator muito importante para seu controle de qualidade (ALMEIDA-MURADIAN, 2007).  A própolis é um produto constituído por uma mistura de diversas resinas vegetais, o qual é coletado por abelhas em plantas comumente visitadas por estes insetos (BIANCHINI et al., 1998).  Tem sido sugerido que a atividade antibacteriana possa estar associada ao alto conteúdo de substâncias do tipo flavonóides presentes na própolis (BIANCHINI et al., 1998). Fatores associados à técnica de extração, metodologia de condução de ensaios, local de origem da própolis e época do ano em que foi produzido podem ter influência sobre o maior ou menor grau de inibição do produto em relação às diferentes espécies bacterianas (BIANCHINI et al., 1998). Como a arma química mais importante de abelhas contra microorganismos patogênicos, a própolis tem sido usada como um medicamento pelo ser humano desde há séculos. Por esta razão, a própolis tem se tornado objeto de estudos farmacológicos e químicos intensos dos últimos 30 anos (FERNANDES et al., 2007). O gênero Mentha é o mais importante da família Lamiaceae em função de agrupar grande número de espécies e híbridos que produzem óleo essencial (OE) com elevado valor comercial. O constituinte de maior demanda comercial é o monoterpeno mentol, amplamente usado nas indústrias farmacêutica, cosmética, de higiene pessoal e alimentícia.  A espécie Mentha canadensis L., é uma planta subtropical, frequentemente citada como Mentha arvensis L. que vem sendo cultivada na Índia, China, Vietnam e Brasil por ser a única fonte viável de cristais de mentol. Seu cultivo foi recomendado nos EUA pela qualidade do óleo essencial e elevado teor de (-)-mentol (SANTOS et al., 2012). Guaco: Mikania glomerata (Asteraceae) Essa espécie é conhecida popularmente por diversos nomes dentre eles guaco, guaco trepador, guaco-de-cheiro, guaco liso, erva de cobra, cipó catinga e coração de Jesus. Asteraceae é uma das maiores famílias das Angiospermas, com aproximadamente 1535 gêneros e 23.000 espécies. O gênero Mikania Willd. caracteriza-se por plantas herbáceas, anuais ou perenes, subarbustivas e escandentes (SANTANA et al., 2013). O guaco é usado na cultura popular há séculos devido às propriedades das folhas, que incluem ação tônica, depurativa, antipirética e broncodilatora, além de estimulante do apetite e antigripal (Lorenzi e Matos, 2008). É ainda empregada no tratamento da asma, bronquite e adjuvante no combate à tosse (Teske e Trentini, 1997).  Estudos relataram que o guaco age diretamente causando broncodilatação e relaxamento da musculatura lisa respiratória, o que pode estar relacionado ao bloqueio dos canais de cálcio, acompanhado de ações anti-inflamatória e antialérgica (Moura et al., 2002; Castro et al., 2006), que são extremamente benéficas ao tratamento da asma, a qual caracteriza-se por obstrução e inflamação das vias aéreas e, resposta broncodilatadora exagerada (Santos, 2005).

INFORMAÇÕES ADICIONAIS

● Sugestão de consumo: De 1 a 6 vezes ao dia, borrifar o produto de duas a cinco vezes na cavidade bucal em direção à garganta. 

● Produto dispensado de registro conforme resolução RDC 240 de 26 de julho de 2018.

● O Ministério da Saúde adverte: Não existem evidências científicas comprovadas de que este alimento previna, trate ou cure doenças.

● Crianças até 2 anos e portadores de qualquer enfermidade somente devem consumir este produto sob orientação de nutricionista e/ou médico.

● Não contém glúten.

● Por ser um produto 100% natural, pode haver diferença de cor e sabor de lote para lote. 

RELACIONADOS